9 fatos sobre Ácaros que ajudam a conhecer e prevenir-se dessa praga!

Uma praga que age silenciosamente em nossa casa. Esse é o Ácaro, o inimigo com quem a grande maioria dos brasileiros dorme todos os dias. Vamos falar sobre ele!

foto 01 – Mas afinal: quem são os ácaros?

Quando pensamos nos Ácaros, a primeira reação – equivocada – costuma ser de menosprezo. Afinal, é uma praga que não vemos atuar, formar grandes grupos que deterioram e destroem os mais variados ambientes e provocar – ou contribuir para – uma série de doenças.

Porém, esse animal pode ser considerado uma das mais devastadoras pragas do mundo moderno.

Ele atua silenciosamente, de forma invisível, em uma quantidade quase incalculável e direta e negativamente na saúde das pessoas com as quais mantém contato.

Todas essas características já são suficientes para criar nas sociedades um alerta sobre a importância de saber lidar com eles – onde estão, como agem e como podem ser evitados e eliminados.

Afinal, se existem dificuldades grandes com pragas minúsculas mas visíveis, como os carrapatos, podemos imaginar com seres que medem meio milímetro!

E diferentemente de algumas pragas, como as baratas, que por mais repugnantes que sejam, atuam como controladoras de outros organismos nocivos, eles não contribuem de forma positiva para o meio ambiente.

Por isso vamos falar de 9 fatos sobre Ácaros que ajudam a conhecer e prevenir-se dessa praga!

01 – Mas afinal: quem são os ácaros?

Essa é uma pergunta que milhões de pessoas fazem todos os dias. Esses animais, por serem invisíveis a olho nu, ainda causam confusão sobre o que eles realmente são.

Os ácaros são animais invertebrados – não possuem coluna vertebral – articulados e com membros rígidos e que pertencem à mesma classe animal dos carrapatos – os aracnídeos.

Eles existem em quantidade abundante por toda a natureza. Porém, quando falamos do contato com o ser humano e com animais domésticos, não se surpreenda: eles estão em todos os ambientes, principalmente em nossas casas.

Estima-se que, em um metro quadrado não controlado, podemos encontrar cerca de cem mil indivíduos! E o pior: se juntássemos todos em um centímetro quadrado, não conseguiríamos vê-los!

Essa sem dúvida é a característica que mais angustia as pessoas: combater uma praga que não aparece e que não sabemos o tamanho do exército que está nos desafiando.

02 – Quais as espécies de ácaros que existem no mundo?

Segundo os aracologistas (cientistas que tem especialização em ácaros), existem atualmente cinquenta e cinco mil espécies registradas, porém o número pode ser muito maior, pelas projeções que os estudos deles apontam.

As espécies mais conhecidas são as abaixo:

  • Ácaro Siro
  • Tyrophagus putrescentiae
  • Blomia Tropicalis
  • Dermatophagoides farinae
  • Pteronyssinus
  • Euroglyphus maynei
  • Lepidoglyphus destructor

Elas atuam em áreas diferentes, desde locais de armazenamento de produtos a objetos revestidos de tecido. Os mais famosos nos dias de hoje são os que atuam nas residências, pelos problemas de saúde que podem desencadear e os cuidados que exigem.

foto 02 – Quais as espécies e tipos de ácaros que existem no mundo?

03 – Qual o habitat dos ácaros?

Será mais fácil dizer onde não é habitat, pois são microrganismos que estão em absolutamente todos os ambientes sociais e na natureza.

Nesse momento, nós que produzimos esse artigo e vocês, leitores, somos veículos de milhares de ácaros, até mesmo de espécies diferentes.

O que podemos afirmar é que, se tratando de ambientes sociais, seus lugares preferidos são as fibras dos mais variados tecidos, locais úmidos e, acima de tudo, os colchões.

Nenhum lugar é mais acolhedor para esses animais que uma cama quente – muito tecido, umidade do quarto e calor das pessoas.

Estima-se que cerca de um milhão e meio de ácaros estejam em sua cama nesse momento – evidentemente, se não houver uma manutenção correta. Ou seja, nós literalmente dormimos com um inimigo.

Porém, eles não se restringem ao nosso momento de repouso.

Também estão em:

  • Produtos armazenados, como cereais e leguminosas;
  • Locais com grande concentração de pó;
  • Despensas, com alimentos e materiais de limpeza;
  • Tapetes e carpetes;
  • Sofás, poltronas de tecido e redes;
  • Cortinas, almofadas e pelúcias;
  • Colchões, colchas, edredons e travesseiros;
  • Aparelhos de ar condicionado de todos os modelos.

Também existem altas concentrações deles em feiras de artesanato, lojas de móveis e estofados, cinemas, teatros e museus.

Como podemos ver, é uma onipresença invisível, o que transforma o combate a eles em um grande desafio, que depende muito de cuidado e rotina.

Além dos ambientes sociais e urbanos, milhares de espécies são agentes de destruição de culturas agrícolas, provocando grandes prejuízos sociais e financeiros. Alguns exemplos delas são:

  • Raoiella: vermelho das palmeiras
  • Schizotetranychus hindustanicus: hindu dos citrus
  • Eriophyes litchii: da erinose da lichia

04 – Como os ácaros se alimentam?

Para cada ambiente em que vivem, as espécies de ácaros tem hábitos alimentares distintos, mas falando daquelas que mais nos preocupam – as domésticas – elas se alimentam de algo muito simples e abundante: das escamas de pele humana.

Para entender esse processo de alimentação, devemos pensar na forma como a nossa pele se renovas. Temos uma camada mais superficial chamada de queratina que renova-se o tempo todo, descamando, ou seja, descartando camadas finíssimas e desgastadas.

É um processo fisiológico e saudável, que visa manter a pele externa sempre na sua melhor condição de proteger as demais camadas e estar sempre viçosa.

Ao usarmos inúmeros locais estofados e com tecidos – abrir e fechar cortinas, mexer-se na cama, sentar-se ou se deitar em sofás e almofadas e andar descalço em tapetes – a umidade e o calor da pele e dos tecidos favorecem a renovação da queratina e eles se alimentam do descarte.

Ou seja, é o mundo perfeito (para eles) de conforto e alimento constante e abundante.

Ao consumirem a pele morta, eles defecam. São vários excrementos por dia e eles são os responsáveis diretos pelos efeitos nocivos no ser humano.

05 – Como os ácaros podem ser nocivos à saúde humana?

Os excrementos que os ácaros liberam constantemente nas superfícies, além da grande quantidade que está em nossas roupas, é o principal desencadeador do grande prejuízo à nossa saúde – os processos alérgicos – porque são ricos em alérgenos.

Como eles se alimentam e produzem os excrementos quase simultaneamente e são centenas de milhares em pouco espaço, é normal o ser humano ingerir ou inalar as partículas quase permanentemente.

Também podemos ingerir restos dos próprios animais, que têm ciclo de vida pequeno, em torno de cem dias.

E acredite: em um colchão com dois anos de uso e sem limpeza adequada, 10% do peso dele será somente desses seres! Ou seja, uma cama mal conservada terá muito material para ser inalado diariamente!

foto Existem ácaros que podem fazer mal à saúde humana?

Existem ácaros que podem fazer bem à saúde humana?

Por incrível que possa parecer, muitos estudos apontam que duas espécies são capazes de proporcionar um benefício ao ser humano.

O Demodex folliculorum, que se hospeda nos cílios, e o Demodex brevis, que fica localizado nas glândulas sebáceas do rosto, não causariam danos à saúde humana e seriam responsáveis por uma faxina ao se alimentarem de bactérias nocivas que estão nessas áreas.

Evidentemente, não é motivo para relaxarmos com os cuidados, já que a variedade de espécies é muito grande e já ficou constatada a lista de tantos problemas que elas causam, muito maiores do que os benefícios que as Demodex proporcionam.

06 – Quais as doenças que são provocadas ou motivadas pelos ácaros?

A lista de doenças respiratórias e alérgicas provocadas pela inalação de excrementos e restos desses animais é grande e preocupante. Vamos listar as principais abaixo.

O contato com eles também agrava o quadro em pessoas que já tem uma doença alérgica ou respiratória causado por outros fatores.

Asma

Essa gravíssima doença respiratória crônica, com consequências sérias para a qualidade de vida da pessoa, pode ser causada pelo contato com a espécie.

Ela se manifesta por aperto e chiado no perto e dificuldade de respirar, com crises fortíssimas que, em alguns casos raros, pode levar à morte. Em casos onde a causa da doença não é esse animal, o quadro pode agravar bastante ao manter contato com ele.

Conjuntivite

Ocorre no contato dos ácaros da poeira doméstica com a conjuntiva – membrana que reveste o olho). O resultado é um processo chamado conjuntivite alérgica ou rinoconjuntivite, porque é muito associada à rinite.

Dermatite atópica

É a hipersensibilidade aos alérgenos do animal no ambiente doméstico e outros agentes, como os fungos. Manifesta-se por um processo inflamatório, com vermelhidão, coceiras e lesões.

Normalmente localizamos ela nos joelhos e cotovelos das pessoas e tem relação com outras doenças de fundo alérgico como a rinite e a bronquite.

Alergia respiratória

É o quadro típico da forma como os ácaros agem nos locais fechados: como eles e seus dejetos são muitos leves, são facilmente carregados por ventos, atingindo as vias nasais das pessoas.

Com isso, desencadeiam as reações alérgicas que levam à rinite e à asma, que é a bronquite alérgica.

Rosácea

Essa doença é relacionada a causa hormonais – a pessoa tem uma inflamação no rosto que é bem característica. Existe uma variação da doença, a papulo-pustular, causada pelo Demodex folliculorumque com a hipersensibilidade a uma bactéria presente no corpo dele.

Escabiose

Nós conhecemos essa doença como a sarna, provocada pelo Sarcoptes scabiae. Ele forma túneis na epiderme e ali deposita seus ovos.

Essa rotina vai provocando uma reação alérgica com coceira insuportável e vai piorando à medida que o processo se mantém.

É importante lembrar que, para cada uma dessas doenças, os médicos recomendarão o tratamento adequado, mas o quadro geral só terá melhoras se a pessoa tomar medidas corretivas no ambiente, que ajudem a reduzir ou repeli-los nos locais.

07 – Como podemos evitar os ácaros em nossos ambientes?

Para começar a resposta deste item, vamos a uma notícia ruim: não foque em matar os ácaros.

Eles existem em uma quantidade e variedade tão grande, na sociedade e na natureza, que ressurgiriam em dias na sua casa depois de você achar que exterminou todos.

O que podemos fazer é adotar uma série de medidas preventivas e corretivas para eliminar ao máximo as condições ideais de vida deles nos ambientes.

Agora, as boas notícias:

  • São medidas simples e que pessoas de todas as idades podem adotar;
  • Estão relacionadas à limpeza dos ambientes – algo fundamental na rotina humana;
  • O investimento é basicamente o que já precisamos – aspirador, produtos de limpeza;
  • Algumas medidas são gratuitas; apenas atitudes pelo bem estar de todos.

foto 07 – Como podemos evitar os ácaros em nossos ambientes?

Não esqueça dos cuidados com seu pet!

Após os passeios, os cães – e gatos, se você consegue levá-los – trazem ácaros no pelo e principalmente nas patas. Algumas ações são necessárias:

  • Lavar as patas dos cães e gatos quando voltarem de passeios, com água e sabão ou lenços umedecidos;
  • Dar banho semanal;
  • Inspeção constante no pelo, olhos e partes do rosto;
  • Prestar atenção em algum comportamento anormal.

08 – Se estou seguro contra ácaros em casa, está tudo certo!

Não!

A residência é certamente o maior foco deles, pois concentra todos os materiais que eles desejam e as pessoas em atividades, dentre elas a mais longa e crítica para a prevenção – dormir, respirando excrementos e restos deles.

Mas outros dois ambientes precisam de muitos cuidados:

Empresas

Além de estofados e cortinas, existem os equipamentos individuais que podem ser hospedeiros. O melhor exemplo são as saídas de ventilação de computadores e saídas de ar condicionado.

Um aspecto crítico nos ambientes profissionais é a limpeza de cadeiras de tecido, que devem ser feitas por equipes de manutenção, porém muitas empresas não dão a devida prioridade.

O resultado é um ambiente onde pessoas passam a maior parte do dia, com um risco potencial de contato e também prejudicial para os resultados: maior grau de absenteísmo em virtude de doenças causadas ou agravadas por essa praga.

Converse com a administração sobre a importância de fazer a limpeza correta nos ambientes, para assegurar um bem estar maior aos funcionários.

Automóvel

Automóveis são grandes resorts dessa praga, nos estofados, tecidos que revestem as portas internamente e o teto, volumes como cadeirinha, mochilas e sacolas de compras e especialmente na circulação de ar do veículo.

Portanto, devemos aplicar as mesmas medidas de prevenção da residência, especialmente a manutenção ou troca do filtro de ar.

Outro ponto crítico no carro são os tapetes, devem ser lavados semanalmente e colocados ao sol para secar.

09 – E se nada der certo no combate aos ácaros?

Cuidar da residência, do ambiente de trabalho e do carro para repelir e exterminar ácaros é uma tarefa rotineira e que exige muita disciplina. Eles são animais que crescem no descuido.

Mas se a rotina não está sendo feita corretamente ou você sente que não está alcançando os resultados desejados, uma ótima opção é procurar empresas especializadas em higienização de colchões e estofados.

Eles podem, em pouco tempo e com as ferramentas corretas, fazer uma limpeza profunda que elimina os ácaros dos objetos. Pode ser um ótimo começo para uma mudança de hábitos de limpeza e para uma manutenção melhor.

foto 09 – E se nada der certo no combate aos ácaros em casa

Como podemos ver nesse artigo, o Ácaro pode ser considerada uma praga moderna por suas características e certamente a mais nociva – por estar em permanente contato físico com o ser humano.

Isso exige que as pessoas tenham cuidados redobrados com tudo que envolve a limpeza das residências, do ambiente de trabalho e dos automóveis para eliminar ao máximo essa praga e resgatar a saúde, o bem estar e noites tranquilas de sono!

Gostou desse conteúdo sobre Ácaros?

Continue navegando em nosso site dedetizadoraonline e veja que temos mais informações úteis!

Acesse também o blog, com artigos relacionados e muito atuais.