Como o Controle de Pragas contribui para uma vida e uma economia saudáveis

Quando falamos em Controle de Pragas, logo pensamos em inseticidas ou vedar portas. Mas essas técnicas vão muito além e podem salvar uma lavoura. Conheça mais sobre elas!

Estamos em um mundo em constante desenvolvimento econômico, com a necessidade de áreas agrícolas cada vez maiores e mais produtivas em prazos menores para atender a demanda das populações e onde o Controle de Pragas se tornou essencial.

Novos espaços vão sendo ocupados pela agricultura, a pecuária e também por indústrias, avançando para regiões mais afastadas dos centros urbanos, buscando mais espaço e algum incentivo econômico em regiões que precisam de mais empregos.

É a grande roda da economia, precisando gerar oportunidades, riqueza e alimento. Em meio a tudo isso, está um Meio Ambiente alterado sempre e bruscamente, muitas vezes desordenada, e que cobra várias contas.

Uma delas é um problema atual e grave para a qualidade de vida e especialmente para a produção de alimentos: as Pragas.

Lidar com elas, eliminar ou mitigar seus impactos são tarefas antigas – desde os primórdios, na verdade – e nunca foram fáceis. É preciso estudar sempre e todos os dias – afinal, a Natureza é sempre soberana e precisa ser entendida e respeitada.

Vamos falar um pouco sobre como o Controle de Pragas contribui para uma vida e uma economia saudáveis e oferecer alternativas em que todos os agentes – terra, gente e economia – saiam ganhando.

O que é o Controle de Pragas?

O Controle de Pragas é o conjunto de estudos, técnicas e análises que visam oferecer, a cada cenário socioeconômico, a melhor alternativa de prevenção, convivência e combate de pragas, conforme as características que se apresentam.

Quando falamos em convivência, não é exatamente aceitar a presença do agente agressor em uma plantação ou na sua residência sem que haja uma forma de controlar ou eliminar.

Na verdade, os diversos estudos demonstram que, aplicados os métodos corretos, haverá uma redução constante da incidência da praga sem que seja necessário aplicar um método de extermínio que pode ter efeitos colaterais indesejados.

Além disso, não existe a garantia de extermínio; um método de controle bem escolhido pode ter excelentes resultados, porém as espécies estão sempre buscando a readaptação em nome da sobrevivência.

Bons exemplos são as baratas e os mosquitos e pernilongos.

Uma espécie hoje é geneticamente diferente de trinta anos atrás porque aprendeu a lidar com as ameaças.

Esse é, sem dúvida, o maior desafio do Controle de Pragas: estar sempre analisando as respostas e o comportamento das espécies para rever métodos e tornar a alcançar bons resultados.

Podemos destacar cinco metodologias de estudo, a partir das quais surgem as técnicas:

  1. Controle Cultural
  2. Controle Biológico
  3. Controle Por Comportamento
  4. Controle Químico
  5. Controle Físico

Vamos falar de cada uma delas e dos principais métodos.

Controle Cultural de Pragas

O Controle Cultural é a aplicação de uma série de práticas que visam reduzir ao máximo as condições consideradas ideais para o surgimento e a proliferação de uma praga.

Um ponto marcante deste tipo de atuação é não existir nenhuma medida que envolva o uso de produtos químicos ou biológicos.

Todos os processos não interferem nas características funcionais do ambiente, seja ele uma residência, empresa ou uma plantação, e nem nas condições que o ambiente precisa para continuar funcionando e se desenvolvendo adequadamente.

Um bom exemplo para uma situação urbana é implementar a guarda correta de lixo; com isso, o acesso a comida ficará restrito e pragas como os ratos e eles terão de buscar outro lugar.

Outros exemplos de controle cultural em imóveis são:

  • Mudança de lugar de armazenamento de alimentos e produtos;
  • Tratamento de esgotos;
  • Reformas de telhados e pisos.

Na agricultura, são inúmeras as formas e todas estão relacionadas à cadeia de processos entre o plantio e a colheita, por exemplo, é uma delas.

Algumas formas de controle cultural na agricultura são:

  • Alterar a época de plantio;
  • Rever o processo de Irrigação ou drenagem;
  • Mobilizar o solo, visando criar dificuldades de acesso;
  • Usar a adubação correta – o método atual pode facilitar o acesso da praga;
  • Destruir restos culturais – restos de plantio e colheita que atraem a praga.

Controle Biológico de Pragas

O Controle Biológico é a forma de usar inimigos naturais da praga como uma forma de ataque ecológico (portanto natural) para que ela seja dizimada ou controlada.

Podem ser usados predadores, insetos, fungos ou bactérias, conforme o tipo de praga que se quer combater. Existem três tipos de agentes controladores usados:

1 – Predatórios

São animais que vivem livremente dentro do ambiente que se quer monitorar e atacam e matam a praga e normalmente são maiores que ela. Um bom exemplo são os gaviões em áreas rurais e os gatos em áreas urbanas.

Por princípio, este tipo de controle não causa danos ao ambiente que se quer preservar e às pessoas e outros animais.

2 – Parasitoides

São organismos que se hospedam na praga, impedindo que ela se desenvolva e chegue à fase reprodutiva e, dessa forma, reduzindo aos poucos a população dela. A bactéria Ampulex Compressa é usada para combater baratas de esgoto, enquanto o Baculovírus ataca a lagarta que infesta as plantações de soja.

3 – Patogênicos

Aqui são usados microrganismos para se instalar e multiplicar-se no organismo da praga, provocando infecções e complicações até a morte dela. É usado em infestações de formigas e saúvas entre outras.

Como podemos ver, a decisão pelo método mais eficiente dependerá diretamente do tipo de ambiente (imóvel, terreno, plantação) e qual praga está assolando o local, para escolher o tipo de inimigo natural que será usado.

É um processo que tem três vantagens importantes:

  • É um processo de longa duração e contínuo, já que dependerá do aspecto natural do ecossistema que se está criando;
  • É absolutamente natural;
  • Retarda o controle químico ao máximo – e se houver necessidade.

Controle Por Comportamento de Pragas

Nesse método são usadas substâncias que tem a capacidade de alterar o comportamento da praga até levar à redução ou extinção dela. São usados Feromônios ou Atraentes.

Os Feromônios e Atraentes estão presentes no organismo das pragas, assim como em todas as espécies animais, pois são liberadas para que os indivíduos da mesma espécie se reconheçam em condições de distanciamento ou luminosidade.

Dessa forma, a técnica consiste em criar armadilhas com a substância para atrair os indivíduos da praga que estão presentes no ambiente. Pode ser muito eficiente para descobrir se há concentração em lugares estratégicos.

Uma tática muito interessante é saturar o ambiente com as armadilhas de forma a confundir o macho. Ele não encontra a fêmea e com isso as chances de acasalamento diminuem, reduzindo também a população.

Esse método também permite quantificar a massa de indivíduos, o que ajuda a determinar o Controle Químico.

Controle Químico de Pragas

O Controle Químico é, com certeza, é o método mais conhecido, pois é o tradicional uso diversos produtos químicos que visam exterminar diretamente a praga.

  • Inseticidas
  • Pesticidas
  • Bactericidas
  • Herbicidas

Esse tipo de controle de pragas é usado em situações extremas, como infestações não atacadas anteriormente ou quando as demais opções não surtiram efeito. Apesar de ter uma eficácia comprovada, existem questionamentos a respeito do uso:

  • A resistência crescente da praga ao produto, ao longo do tempo;
  • Aparecimento ou reaparecimento de pragas devido ao desequilíbrio biológico;
  • Riscos à saúde das pessoas e de outros animais.

Os tipos clássicos são a desinsetização e o ataque com defensivo agrícolas em lavouras com infestação de lagartas.

Controle Físico de Pragas

O Controle Físico pode ser entendido como uma versão do Controle Cultural, com o objetivo de impedir que as pragas alcancem o objetivo delas no ambiente.

Os exemplos mais conhecidos são:

  • Inundação de áreas, impedindo o acesso de algumas espécies;
  • Barreiras físicas, com o mesmo objetivo;
  • Alteração de temperatura e luminosidade do ambiente, rechaçando a praga;
  • Métodos manuais: coleta de ovos e indivíduos, proteção física de frutos e outros.

Esse controle é usado em situações onde o custo para desenvolver o Controle Cultural é uma restrição e há impedimento para usar os demais, principalmente o Químico.

Como podemos ver nesse artigo, o Controle de Pragas é um estudo essencial para o bem estar social e econômico de sociedades rurais e urbanas. Desse estudo saem as soluções para que as pragas sejam controladas ou exterminadas.

O tipo de controle de praga sempre irá variar conforme as características da situação – área, tipo de infestação, riscos à saúde e econômicos – e pode haver uma escalada de soluções em casos onde a opção escolhida não surtir efeito.

Gostou desse conteúdo sobre Controle de Pragas?

Continue navegando em nosso site de dedetizadora online e veja que temos mais informações úteis!

Acesse também o nosso blog, com artigos relacionados e muito atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *