Praga Barata | 10 Fatos para Prevenir e Acabar com elas!

As baratas são, sem dúvida, a maior praga urbana do mundo. Presentes em todos os lugares, são a maior preocupação das populações. Mas será que conhecemos bem esse animal? Vamos falar bastante sobre elas aqui!

Ninguém é ateu quando a barata começa a voar.

Quem nunca ouviu ou leu essa frase espirituosa? Na verdade, sabemos que é preciso ter muito bom humor para lidar com essa que é certamente a praga que mais assola as populações em todos os continentes e o maior terror doméstico: as Baratas.

Afinal, são milhares de espécies diferentes e um morador de área urbana em São Paulo não acreditaria que algumas que vivem perto de cangurus, com quinze centímetros de comprimento, podem ser chamadas de baratas.

São dotadas de grande velocidade, uma capacidade impressionante de sobreviver a ataques, de se adaptarem a qualquer ambiente e a inseticidas comuns. Elas podem literalmente perder a cabeça e continuar vivendo.

E sequer têm o benefício de se tornarem personagens simpáticos e queridos, como os ratos Mickey e Gigio.

Apesar de tudo isso, também exercem um papel importante no equilíbrio de população de outras pragas. Sim, são aliadas em alguns aspectos – e certamente isso não é motivo para mantê-las em casa ou fazer amizade com elas.

Por isso vamos falar de 10 fatos sobre Baratas que ajudam a conhecer e prevenir-se dessa praga!

01 – Quantas espécies de baratas existem no mundo?

Quando pensamos nas diferentes baratas que já vimos nas ruas e imóveis das cidades, não imaginamos que são apenas uma amostra da população mundial delas, que atualmente é em torno de quatro mil espécies.

Porém, apenas trinta espécies são consideradas urbanas – aquelas que , por mudanças na natureza ao longo dos anos ou por habitat, nascem e crescem nas cidades,

Elas estão presentes em todos os continentes e podem variar, em tamanho, de pouco milímetros – que não existem nas áreas urbanas brasileiras – a dez centímetros – que felizmente também não existem!

Essas, no caso, são uma espécie australiana, que podem chegar a dezoito centímetros de envergadura, que faz muitas espécies de escorpiões e ratos. ratos parecerem pequenos.

Existem outras espécies de tamanhos intermediários nas florestas tropicais, que por serem quentes e úmidas, são o lugar ideal para esse animal.

Por esse motivo, o Brasil é um país onde elas estão em grande número, já que o clima que predomina no país – quente como um todo e úmido em várias regiões – é o melhor para que elas se multipliquem e vivam em boas condições.

02 – Quais as espécies de baratas que são comuns no Brasil?

Dentre as várias espécies que certamente existe no Brasil, as três mais comuns no dia a dia das cidades e áreas populosas são as abaixo.

Apesar de ser comum ver algumas durante o dia, especialmente nas ruas, elas são animais de hábitos noturnos, quando se sentem seguras já que as pessoas estão normalmente dormindo.

Dessa forma, é essencial que as medidas de prevenção – vamos falar mais adiante – sejam feitas para que as casas e o comércio estejam seguros durante a noite.

02.1 – Barata Americana

É a famosa barata de esgoto, que vive nas tubulações de detritos, caixas de gordura, galerias de esgoto e lugares com concentração de lixo, como terrenos baldios e aterros.

São conhecidas também por ser voadoras e medem em torno de cinco centímetros. A identificação delas é fácil, pois tem a cabeça amarelada e o corpo marrom. Alimentam-se de fontes de fontes de gordura, de açúcar, outros insetos e excrementos.

Não é uma espécie que se elimina facilmente com inseticidas, pois se adaptam facilmente a eles. A dedetização costuma ser o único método eficiente com elas.

02.2 – Barata Alemã

É a que também chamamos de barata francesinha e vive sempre em locais onde haja concentração de alimentos – despensa de residências, lanchonetes e restaurantes, por exemplo, além de outros locais úmidos e quentes como banheiros para criar residência.

Podem medir de um a cinco centímetros, são noturnas e você identifica pela cor castanha-clara e pelas duas faixas escuras o longo do corpo, a partir da cabeça.

É comum vermos elas pela no final de tarde, quando saem em busca de comida – se alimentam de açúcar, gordura, proteínas e até materiais como sabão e restos de lixo se não encontrarem os alimentos preferidos.

Por esse motivo, é a espécie que mais encontramos no dia a dia doméstico e comercial e também é a mais desafiadora porque tem uma capacidade de adaptação impressionante e os inseticidas comuns não costumam funcionar.

03 – Qual o comportamento social das baratas?

O habitat dessa espécie são os locais com sujeira, lixo e dejetos – aterros, lixeiras, galerias de esgoto, tubulações e, eventualmente, buracos em paredes – e especialmente quando não há limpeza constante.

Ao contrário do que imaginamos, as casas não são o lugar ideal para elas, circulando entre inimigos maiores – seres humanos, cães e gatos. Na verdade elas aparecem para buscar alimento que está de fácil acesso e voltam para seus esconderijos.

Se elas estão presentes na residência, certamente existe um lugar ideal próximo que precisa urgentemente de medidas preventivas ou de combate direto. Um bom exemplo são as lixeiras mal higienizadas nos andares de prédios.

Em casos extremos, elas podem criar uma colônia dentro de casa se encontrarem um local favorável – uma despensa com alimentos vencidos ou sem limpeza, por exemplo.

Comportamento social das baratas

As baratas são animais sociáveis dentro de sua espécie, capazes de reconhecer até mesmo parentes depois de um tempo de distância, formando colônias com membros de diversas gerações.

Se uma surgir na sua casa e que não seja por um imprevisto – uma chuva forte que força a entrada dela, por exemplo – é motivo de preocupação; pode existir um grupo vivendo no imóvel ou muito próximo a ele.

Influência do clima na incidência das baratas

O clima quente e úmido é o ideal para o surgimento e proliferação. Podemos notar isso especialmente no verão das cidadãs litorâneas, que combina a temperatura e a umidade ideais para elas.

Sendo animais noturnos, elas começam a sair para procurar alimento no final da tarde, razão pela qual é comum – assim como acontece com os mosquitos – vê-las nesse período, principalmente se elas forem atingidas por chuvas e procurem as casas para se abrigar.

04 – Qual o ciclo de reprodução das baratas?

As adultas e fêmeas costumam gestar de quarenta e quarenta e cinco ovos por vez e carregam eles em uma cápsula chamada de ooteca e que fica presa ao corpo.

Após um período médio de quatro semanas, os ovos eclodem. Esse processo pode se repetir semanas depois, ao ponto de uma francesinha gerar trinta mil ovos em um ano!

Podemos imaginar a dimensão de saúde pública e saneamento que isso representa em cidades com tanta população, consumindo alimentos e gerando lixo a todo instante.

blank

05 – O que atrai as baratas para as nossas casas?

Muitas vezes, as pessoas ficam enojadas com a presença deste inseto em suas casas, mas esquecem de algo fundamental: como elas chegaram até ali.

E os motivos sempre estão ligados à forma de lidarmos com o que produzimos: basicamente alimento e lixo. Algumas situações são ideais para o surgimento delas.

  • Áreas de coleta de lixo sem isolamento, vedação e distância de esgotos e rios;
  • Lixeiras de prédio sem limpeza constante;
  • Queimadas em áreas onde podem existir colônias;
  • Refrigeradores mal vedados e fogões com restos de comida;
  • Despensas sem limpeza e com alimentos mal acondicionados e deteriorados;
  • Medicamentos guardados sem isolamento;
  • Áreas com acúmulo de caixas, madeira e objetos (um verdadeiro resort).

Outro fator importante no surgimento em uma região específica – um quarteirão ou conjunto de casas, por exemplo – é a dedetização em área próxima. Por isso é fundamental fazer a dedetização regularmente.

06 – Como as baratas podem ser nocivas à saúde humana?

As baratas não são apenas repugnantes: elas são transportadores de agentes de doenças.

Basta imaginarmos em que terrenos e matéria orgânica as suas patas estão deslizando o tempo todo. De produtos químicos e alimentos deteriorados a animais mortos, tudo faz parte do cardápio desse animal, transportando bactérias e parasitas para onde vão.

Por isso é tão importante manter mesas, pias e balcões muito limpos e ter atenção com a presença delas, porque é sinal de que agentes transmissores de doença estão vindo junto.

Algumas doenças que podemos contrair em contato com objetos contaminados são:

  • Hepatite A
  • Doenças gastrointestinais
  • Alergias
  • Febre tifoide
  • Pneumonia
  • Erupções cutâneas
  • Tuberculose

Além disso, os alérgenos que elas liberam no ar, em ambientes fechados, podem piorar o quadro de pessoas asmáticas.

Como podemos ver, o controle de praga é essencial e constante. Com ele, é possível eliminar os fatores de criação e crescimento delas.

07 – As baratas podem causar prejuízos financeiros?

Com certeza sim e aqui estamos falando de algo que vai além dos danos maiores – que são à nossa saúde. Esses insetos são capazes de provocar destruição nos ambientes em que vivem ou transitam.

Podem danificar roupas, livros e até mesmo objetos em couro. Muitas vezes se alimentam de produtos químicos – solventes, colas e tintas! – e mancham roupas e estofados com suas fezes.

Não é raro encontrá-las, especialmente as miúdas, danificando fios e interiores de aparelhos de cozinha. E tudo isso combinado a um cheiro horrível que exalam.

08 – Como podemos nos prevenir das baratas?

Apesar de tanta versatilidade alimentar e resistência – e talvez justamente por causa disso – as formas de evitar o contato e a presença delas na sua residência ou empresa têm a ver com algo muito simples: higiene e cuidado.

Podemos destacar algumas medidas para mantê-las bem longe.

  • Manter todos os ambientes sempre limpos, sem restos de comida e produtos;
  • Colocar proteções em ralos e tubulações;
  • Descartar embalagens devidamente tampadas ou lacradas;
  • Não acumular objetos sem necessidade – caixas, latões, madeira – especialmente em galpões, estábulos, sótãos e porões;
  • Manter alimentos em embalagens totalmente vedadas;
  • Lavar garrafas vazias e estocar viradas para baixo ou inclinadas;
  • Recolher o lixo com frequência;
  • Lavar utensílios antes de preparar comida;
  • Limpar caixas de gordura regularmente;
  • Verificar existência de esgoto aparente nas proximidades do imóvel.

Outra forma de impedir a presença na residência é usar algumas receitas caseiras, que são inofensivas para humanos e que podem ser colocadas longe do alcance dos animais domésticos. Veja em nosso blog algumas que selecionamos.

09 – Curiosidades, mito e verdade sobre as baratas!

As baratas são tão cercadas de curiosidades quanto de rejeição das pessoas. Algumas reforçam a incrível capacidade de sobrevivência desse animal.

blank

Baratas resistiriam a um ataque nucelar?

Não.

Esse mito surgiu do fato de que elas são altamente resistentes (de novo) à radiação, muito mais que a maiorias das espécies, incluindo os humanos.

Ou de histórias, não confirmadas, de que sobreviveram nas regiões de Hiroshima e Nagasaki, vítimas de um ataque nuclear durante a Segunda Grande Guerra.

Mas essa resistência ainda é muito inferior à radiação emitida de uma bomba nucelar. Portanto, elas não ficariam senhoras da Terra após uma catástrofe nessas proporções.

Nós consumimos resíduos de baratas no chocolate?

Verdade.

Alguns estudos indicam que cada cem gramas de chocolate pode conter alguns poucos resíduos de alguns exemplares, pois elas entram em contato com a fruta  durante a colheita e a armazenagem.

Mesmo sendo uma quantidade muito pequena, nela pode estar o fato de algumas pessoas serem alérgicas a chocolate, quando na verdade elas reagem ao alérgeno presente nos resíduos do inseto.

Baratas gostam de cerveja?

Difícil dizer uma bebida ou alimento que as baratas não consomem.

Mas a cerveja é um capítulo à parte, pois é comum encontrarmos garrafas armazenadas ou sacos com latas vazias onde têm resíduo da bebida com ootecas e concentrações de espécies miúdas.

Especialistas entendem que o odor forte da cerveja azeda – que está há bastante tempo exposta à temperatura ambiente – é muito atraente para esse inseto.

Como precaução, o ideal é lavar as garrafas antes de estocar para evitar a criação de colônias.

10 – E se nada resolver o seu problema com as baratas?

É muito frustrante quando todas as tentativas naturais – medidas de prevenção, inseticidas e receitas caseiras – foram usadas e não conseguimos nos livrar delas.

Infelizmente, são insetos com um grau muito alto de resistência. A situação pode ser agravar com a duração que o problema causador teve – e permitiu que elas criassem colônias grandes e profundas.

Contratar um especialista em exterminar pragas pode ser uma excelente opção, principalmente quando o problema ainda é inicial e não afetou seu cão ou gato, objetos e grandes áreas.

As empresas especializadas em dedetização têm inúmeras técnicas apropriadas para extermínio de pragas e o melhor: praticamente todas são inofensivas aos habitantes e outros animais e não exigem que o imóvel fique desocupado por um ou dois dias.

Na nossa página, temos uma lista selecionada de algumas, com experiência e reputação no mercado, para ajudar você na escolha.

blank

Como podemos ver nesse artigo, são muitos os cuidados que devemos ter com as baratas, que são sem dúvida a maior praga, especialmente nas áreas urbanas e grandes cidades, onde a produção e descarte de alimentos e a geração de lixo são muito grandes.

O controle e a eliminação desse inseto é fundamental para preservar a qualidade de vida e a saúde das pessoas e de seus animais de estimação.

Gostou desse conteúdo sobre Baratas?

Continue navegando em nosso site e veja que temos mais informações úteis!

Acesse também o nosso blog, com artigos relacionados e muito atuais.