Desinsetização: 9 Dicas para Proteger sua Casa

Livrar-se das pragas urbanas que assolam residências e empresas é uma missão essencial para preservar a saúde de todos. A Dedetização é sua aliada, veja como ela funciona!

A Dedetização surgiu da necessidade de combater uma realidade para a Humanidade desde o início dos tempos: as pragas.

Na verdade elas surgiram e se tornaram mais frequentes e mais complexas à medida que as sociedades cresciam e grandes pedaços da natureza eram transformados em áreas de cultivo, residência e várias atividades econômicas.

O progresso faz parte da outra natureza, a humana, porém a forma desordenada, sem muita técnica e sem preocupação com impactos, criou em diversas espécies a necessidade de buscar espaços e formas de sobrevivência.

Nada é mais natural, afinal é um mundo onde todas as espécies querem o direito à vida.

Por esse motivo e pela própria sobrevivência, o homem teve de aprender a lidar e combater infestações que dizimam grandes plantações, atacam áreas residenciais e industriais e são capazes de abalar economias de cidades, países e até de continentes.

As técnicas de prevenção e combate de pragas se modernizaram bastante e, felizmente, estão se alinhando com as boas práticas de cuidados com a saúde humanas, de outros animais, como os domésticos e rebanhos e com a preservação na natureza.

Vamos falar sobre Dedetização: 9 respostas que vão ajudar você a proteger sua casa e sua família.

01 – Dedetização e desinsetização são a mesma coisa?

Essa é uma dúvida comum entre as pessoas, mas de fácil explicação: a Desinsetização é, hoje, o que nos acostumamos a chamar de Dedetização até alguns anos.

O termo dedetização foi criado em virtude do produto químico que foi usado como um poderoso inseticida por décadas em todo o mundo, o DDT.

Esse produto entregava excelentes resultados sobre as pragas urbanas – baratas, mosquitos e outros insetos, que sempre foram as maiores ameaças nas cidades.

Porém, com o tempo descobriu-se que ele também provoca graves problemas.

  • Apesar de ter um custo baixo, seu efeito era de curto prazo;
  • Para obter resultados prolongados, era preciso aplicar várias vezes e a alta concentração prejudicava a saúde humana e dos predadores naturais que tinham contato com as pragas que eram atacadas pelo inseticida.

Dessa forma, há cerca de vinte anos o DDT foi proibido, novos produtos e compostos com baixa ou nenhuma agressividade e grande eficiência surgiram, além da variedade de processos para as diferentes pragas.

  • Desinsetização
  • Desratização
  • Descupinização
  • Termonebulização

O nome Dedetização, porém, ainda é muito conhecido e buscado nas pesquisas de clientes e, hoje em dia, significa a grande luta das pessoas e das empresas, usando variados processos, para eliminar todas as pragas.

02 – Quando devemos decidir por fazer uma desinsetização na nossa casa?

Podemos dizer que desinsetizar torna-se fundamental na sua residência quando estamos diante de uma dessas situações:

  1. O nível de infestação não pode ser controlado ou dizimado com os métodos caseiros e inseticidas comuns;
  2. Nenhuma solução caseira ou natural obteve um resultado satisfatório, mesmo em uma infestação pequena;
  3. O motivo da infestação – mesmo que pequena – está fora do seu controle e não há uma solução definitiva – um bom exemplo são as condições ruins de saneamento próximas de casa e que o poder público não resolve.

03 – Quais as pragas que são atacadas com a desinsetização?

Cada uma das técnicas disponíveis é eficiente com uma ou várias pragas, mas todas são muito usadas para eliminar as duas maiores pragas urbanas visíveis – baratas e formigas.

Além delas, a desinsetização ou dedetização é usada para exterminar aranhas, escorpiões, carrapatos, pulgões, insetos voadores (mosquitos, pernilongos) e outras pragas nas quais os produtos têm efeito de exterminar.

O que vai determinar a melhor forma de desinsetizar é o estudo do local, principalmente a localização das colônias – por exemplo, se estão em tubulações externas ou dentro de tomadas internas.

04 – Quais as técnicas de desinsetização que podem ser usadas?

O setor de combate a pragas está sempre evoluindo para acompanhar as diversas necessidades que surgem principalmente por conta da evolução das espécies, mudança de hábitos sociais e alimentares e até de localização.

As técnicas usadas atualmente são:

04.1 –Aplicação de Gel

É um das mais usadas em ambientes residenciais para extermínio de baratas e formigas, pois oferece segurança e comodidade.

As aplicações em gel especialmente elaborado, com seringas ou pistolas especiais, são feitas em pontos definidos previamente e locais afastados da circulação e contato com pessoas e animais – justamente onde esses animais se protegem e criam suas comunidades.

As pragas serão atraídas pelo gel, atrairão mais indivíduos e se envenenarão, provocando um efeito em cascata que exterminará toda a colônia e desestimulará a presença de mais exemplares.

As principais vantagens no uso dessa técnica de dedetizar são:

  • Não tem cheiro, portanto não atrairá o olfato dos animais domésticos;
  • Não é preciso sair do imóvel para fazer a aplicação
  • O produto age no local por noventa dias, em média.

04.2 – Pulverização

Nessa modalidade de desinsetização, é usada a pulverização de um inseticida emulsionado em uma solução líquida – em um grau de toxicidade muito inferior ao DDT.

Ele é aplicado em espaços médios e grandes onde não haja circulação de pessoas e animais e possa haver concentração de pragas – redes sanitárias, esgotos, ralos, entornos dos imóveis.

Ele é ideal para dizimar todos os insetos, tem ação imediata para exterminar os exemplares. Como o efeito do produto força o animal a sair do esconderijo, isso facilita o ataque a eles, aumentando a eficácia do método.

Não pode ser aplicado no interior de residências – apenas em quintais, jardins, garagens e áreas de serviço, que são espaços onde podem se concentrar muitas pragas.

04.3 – Polvilhamento de Inseticida

É a técnica onde o profissional faz o espalhamento de um inseticida na forma de pó, com odor e toxicidade reduzidos.

É ideal para exterminar baratas em tubulações de esgoto e dutos externos de água. Não pode ser aplicado no interior e nas áreas anexas de casas.

04.4 – Aplicação de Pó Seco

É a aplicação de um pó químico, usando povilhadeiras, no interior de tomadas, quadros de energia, conduítes e painéis de shaft – que são ótimos esconderijos de baratas, formigas e outros insetos.

Ele atua, portanto, em áreas onde não é permitido usar as demais soluções, pelo contato com instalações elétricas e proximidade de crianças e animais com tomadas.

04.5 – Armadilhas Adesivas

Aqui são usadas pequenas placas com uma superfície adesiva e alimentos que atraem a praga. Dessa forma, elas ficarão presas na armadilha e poderão ser capturadas.

Essa técnica é muito eficiente em pequenas ocorrências, mas também é muito usada para monitoramento e controle dos focos, para que se possa usar, posteriormente, uma técnica que vá dizimar toda a colônia.

04.6 – Pulverização de Calda Química

É feita a pulverização líquida de um produto químico de baixa toxicidade e odor.

O objetivo é atacar os esconderijos para que a praga desaloje, morra e o produto continuará agindo no local. É especialmente eficiente para exterminar baratas e escorpiões e não pode ser usado em instalações elétricas e redes de esgoto.

04.7 – Termonebulização

Nesse método, é usada a nebulização de um inseticida – espalhar em forma de neblina – no ambiente para controle e extermínio de insetos voadores – mosquitos, moscas, pernilongos e outros.

É o controle de tratamento espacial. É aplicada uma nuvem de gotículas que vão atingir os insetos, as comunidades e os ovos. Também tem eficácia para baratas e outros insetos rasteiros, como os carrapatos.

É responsabilidade da empresa desinsetizadora avaliar qual técnica é a mais adequada a cada imóvel, bem como o seu entorno e os locais de foco das pragas.

05 – Com que frequência devemos fazer a desinsetização na nossa casa?

Essa é sempre uma pergunta que gera alguma polêmica, pois depende de alguns fatores – e afeta a relação de boa vizinhança.  E certamente vai ser o tópico mais longo desse artigo.

Casas independentes

Se o seu imóvel é uma casa independente, é possível adotar as premissas abaixo:

  • Se o ambiente não tem episódio de infestação: a cada seis meses;
  • Se existe episódio já resolvido: a cada três meses;
  • Se existe um fator crítico: monitorar mensalmente.

Uma situação crítica certamente será aquela onde as causas são externas e não controladas e que provoca a repetição do problema. E o gasto pode ser alto nas situações críticas.

Nesses casos, o recomendado é negociar um pacote mensal com a empresa desinsetizadora para diluir o custo ao longo do tempo de forma a reduzi-lo. A empresa poderá gastar menos com cada evento, repassar para o preço e atender melhor ao longo do tempo.

Casas ou apartamentos condominiais

Em condomínios, existe a responsabilidade solidária de cada unidade habitacional – casa ou apartamento – em não prejudicar diretamente as condições de saneamento das demais e das áreas comuns.

Temos a desinsetização de cada imóvel e das áreas comuns, de onde podem surgir pragas para dentro da sua casa. Além disso, sua casa pode se tornar fonte de pragas para as demais.

O condomínio pode ser responsabilizado civilmente por danos materiais e morais às unidades caso haja uma infestação originada nas áreas comuns e um morador pode ser acionado por danos aos demais – uma fortuna apenas pela falta de conservação do imóvel contra pragas.

  • Para cada unidade habitacional em condomínio, pode-se aplicar as mesmas regras de unidades independentes;
  • As áreas em comum devem ser desinsetizadas a cada três meses.

Os dados acima baseiam-se em muitas teses de especialistas e a base de conhecimento das empresas do setor.

06 – Como devemos preparar o ambiente para uma desinsetização?

As empresas dedetizadoras, em sua grande maioria, enviam aos clientes antecipadamente, por e-mail ou celular, um roteiro com orientações sobre o que será feito e como o ambiente deve estar preparado.

Algumas medidas que devemos tomar são:

  1. Fazer uma limpeza geral no dia anterior ao serviço para que a fixação e permanência do produto seja garantida pelo tempo necessário;
  2. Isolar – ou se possível retirar do local – alimentos, talheres, pratos, panelas e outros utensílios usados em refeições;
  3. Afastar os móveis das paredes;
  4. Retirar o papel higiênico e artigos de higiene dos banheiros;
  5. Não deixar roupas expostas ou, fora dos locais onde são guardadas – especialmente em varais;
  6. Se o serviço será feito dentro de armários, todo o conteúdo precisa ser retirado e levado para fora do ambiente a ser desinsetizado.
  7. Retirar – ou guardar em local isolado – roupas de cama, toalhas, colchas, edredons, travesseiros, almofadas e pelúcias.

Essas ações visam garantir que o produto não tenha contato com peças de uso pessoal.

Devemos limpar o ambiente após a desinsetização?

Não.

Para assegurar o máximo dos resultados com o processo, é recomendado que o ambiente não seja limpo (faxina) em até 2 dias após o serviço.

07 – Os moradores podem ficar na casa que será desinsetizada?

A presença ou não dependerá das circunstâncias e do tipo de produto que será usado – as aplicações em gel, por exemplo, não exigem que as pessoas saiam, porém existe um cuidado especial com animais de estimação.

Nas residências, é recomendado que haja uma pessoa responsável pelo imóvel, maior de idade, para orientar os técnicos em caso de dúvidas ou executar alguma exigência passada antes e que não tenha sido cumprida.

Além disso, existem casos especiais que precisam ser avaliados. O ideal é sempre questionar a empresa enquanto negocia o serviço.

  • Crianças pequenas
  • Idosos
  • Animais de estimação
  • Pessoas com dificuldade de locomoção
  • Grávidas
  • Pessoas alérgicas
  • Pessoas imobilizadas em tratamento

Quando o serviço é feito em empresas, pode ser agendado em um final de semana, principalmente para as grandes companhias com muitos funcionários, ambientes e equipamentos.

Em empresas pequenas e dependendo do método – por exemplo a aplicação de gel – não é necessário que as pessoas saiam.

08 – Quanto tempo demora para a dedetização surtir efeito?

Podemos ver, em alguns métodos, a morte de vários exemplares da praga, mas esse ainda não é o objetivo maior da dedetização. O mais importante é atuar na colônia para dizimar a comunidade.

Em geral, o procedimento demora quarenta e oito horas para começar a surtir efeito e provocar as primeiras mortes após os exemplares terem contato com o produto e, conforme o caso, levar para a colônia.

Normalmente, os melhores resultados começam a aparecer em até três semanas.

09 – Lembretes importantes sobre a desinsetização!

Em países onde a questão do saneamento básico ainda é crítica, como o Brasil em milhares de cidades, é importante sempre lembrar, principalmente para os causadores externos de uma infestação, que:

  • Não existe infestação tolerável – é seu direito viver em um ambiente o mais livre possível de pragas;
  • Não existe infestação pequena – ela certamente crescerá com o descuido;
  • Pesquise bem as empresas desinsetizadoras da sua região antes de escolher. Temos um artigo (link para artigo Blog – Cuidados para contratar) que mostra os cuidados para que o serviço seja o melhor possível;
  • Um ambiente livre de pragas é um direito social básico. Não renuncie à obrigação do vizinho de respeitar esse direito!

Como podemos ver nesse artigo, a Dedetização ou Desinsetização é uma ferramenta poderosa no combate e no extermínio das pragas urbanas mais conhecidas e temidas – baratas, aranhas, mosquitos, pernilongos e formigas.

As opções de ataque são muitas e atendem às características não só dos locais onde serão aplicadas, mas também ao comportamento da praga – se ela reside na área externa do imóvel, na alvenaria ou até em instalações elétricas e hidráulicas.

Gostou desse conteúdo sobre desinsetização?

Continue navegando em nosso site e veja que temos mais informações úteis!

Acesse também o nosso blog, com artigos relacionados e muito atuais.